Como um educador brincante proponho diálogo entre a tradição e a invenção. Desde 1999, venho pesquisando as diversas manifestações populares no campo da dança, da música, dos contos e das brincadeiras. Venho incorporando todo o repertório destas pesquisas no meu trabalho profissional como músico, contador de história e educador. No meu contato com as crianças, observo que elas possuem uma inventividade espontânea, natural, capaz de transformar todas estas manifestações tradicionais em expressões autorais. Baseado nesta experiência, descobri que a invenção se transforma em tradição e a tradição dá as cartas para a próxima invenção. Em todas as épocas, os artistas profissionais foram buscar na cultura espontânea, também denominada de cultura popular, a fonte geradora de sua arte. Nesta busca, podemos identificar três vertentes: ASSIMILAÇÃO: Aqui, o objetivo é retratar, com a maior fidelidade possível, aquela manifestação no seu contexto social e afetivo. Para isto, o artista deve se transformar num verdadeiro pesquisador. RECRIAÇÃO: Depois de incorporar aquelas manifestações populares, o artista promove alterações e transformações, dando uma nova feição ao tradicional. No processo de recriação, entretanto, a origem inspiradora está sempre clara. INVENÇÃO: Quando a assimilação se torna orgânica e a recriação se transforma num processo diário, o artista se vê diante das possibilidades da invenção. Daí surgem soluções surpreendentes, dando origem a uma terceira vertente, onde todos os elementos se comunicam. Como cada pessoa vai incorporar estas vivências na sua prática cotidiana? Ao abordar a cultura tradicional, propomos explorar estas três vertentes: o mestre transmitindo aos seus aprendizes, o educador ensinando aos seus alunos, e as crianças na inventividade de seu cotidiano. Família e amigos estão convidados para o encerramento das 16:30 as 17:00h.

Encontro: 9 de novembro.  Horário: 9h às 17h.       

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. Metro Cinelândia. RJ.

Investimento: R$ 150,00 / R$ 100,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Estêvão Marques é formado em música. Professor no The San Francisco International Orff Course, nos Estados Unidos. Ministrou oficinas na Turquia, Colômbia, Argentina, Uruguai, Espanha, Finlândia, Tailândia, Portugal, Holanda, Áustria, Noruega, Hong Kong, Taiwan e Itália. Autor de 15 livros dentre eles a coleção de livros "Historias que cantam" é Coautor da coleção de livros Brincadeiras e brincadeirinhas musicais da Palavra Cantada. Diretor musical do CD/livro Muitas coisas, poucas palavras, de Francisco Marques (Chico dos Bonecos). Criador do curso online “Baile do Colherim”. Autor dos livros Musicais Colherim e Brasil for Children. Contador de histórias, fundador do Grupo Triii e já tocou com Palavra Cantada, Chico César, Antônio Nóbrega e com o grupo Barbatuques. https://estevaomarques.com/home/

O Passo é um método de educação musical criado por Lucas Ciavatta em 1996 e hoje em dia amplamente utilizado no Brasil, na França e nos EUA. Utilizando notações gráficas, orais e corporais, tendo como princípios: inclusão e autonomia, e como pilares: corpo, imaginação, grupo e cultura, O Passo trabalha acima de tudo para a construção de uma sólida base de ritmo e afinação. A partir d’O Passo você pode ir onde quiser ir. Nesta oficina, trabalhando com palmas e voz, haverá espaço tanto para quem quer ter um primeiro contato com o método quanto para quem quer se aprofundar nele.

Lucas Ciavatta, formado em música pela UNIRIO e Mestre em Educação pela UFF, é o criador do método de educação musical “O Passo”. É diretor do Instituto d’O Passo e professor da PUC Rio. É também coordenador de música do Colégio Sarah Dawsey e diretor do grupo musical Bloco d’O Passo. Há mais de 20 anos desenvolve projetos de música e educação em parceria com diversas instituições no Brasil, na França, nos EUA, na Alemanha, na Áustria e no Chile.

https://www.institutodopasso.org/o-metodo

Encontro: 23 de novembro. Horário: 9h às 17h.    

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. Metro Cinelândia. RJ.

Investimento: R$ 150,00 / R$ 100,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Horário: 9h às 17h.                                                        

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: R$550,00/R$500,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana (021) 998043838

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Feita pela e para a criança, a música tradicional da infância a embala desde o nascimento e percorre todos os seus passos até que chegue à idade adulta. Carrega os ritmos e molejos da música brasileira a beleza da nossa poesia popular, os gestos, movimentos e desafios imprescindíveis ao desenvolvimento da criança e a nossa diversidade cultural. Pautado nas pesquisas de campo realizadas por Lucilene Silva desde 1998, a proposta deste curso é a prática de um diversificado repertório de brincadeiras tradicionais, o estudo do seu material sonoro e o compartilhamento de uma experiência em Educação Musical baseada neste repertório. Conteúdos:

•          Cultura infantil: definição, dimensões, pesquisa e documentação;

•          Repertório: classificação, características e linguagem de movimentos;

•          Música tradicional da infância: características, gêneros, estilos, influências;

•          Gêneros musicais e ritmos brasileiros na música tradicional da infância;

•          Música tradicional da infância na Educação Musical.

Lucilene Silva é mestre e doutoranda em Música na UNICAMP, com parte da Pesquisa de Doutorado realizada no Departamento de Etnomusicologia da Universidade Nova de Lisboa, Desenvolve desde 1998 pesquisa de campo e documentação de cultura infantil e música tradicional da infância, tendo percorrido cerca de 160 municípios do Brasil e outros países da América Latina. Coordena o Centro de Estudos e Irradiação da Cultura Infantil e o Centro de Formação de Educadores da Oca Escola Cultural. Representa em São Paulo a Casa das 5 Pedrinhas fundada pela pesquisadora Lydia Hortélio. Integra a equipe de educadores da Casa Redonda Centro de Estudos e do Instituto Brincante. Entre outras publicações é autora do livro Eu vi as três meninas, música tradicional da infância na Aldeia de Carapicuíba, que em 2015 recebeu o prêmio IPHAN de Salvaguarda do Patrimônio Imaterial. Integra a Cia Cabelo de Maria com participação nos CDs Cantos de Trabalho volumes I e II, Baianás e São João do Carneirinho. Participou do filme Tarja Branca, uma revolução que faltava produzido pela Maria Farinha Filmes e do filme Mitã, uma poética da infância brasileira, produzido pelo Espaço Imaginário.

Quando penso para entender, posso imaginar como soa e como se toca, quando toco, entendo como foi feito e imagino como soa, se escuto entendo sua estrutura e posso imaginar como se toca. O desenvolvimento da criatividade faz parte tanto da formação instrumental como o referente a linguagem. Poder improvisar e compor têm uma função primordial na apropriação tanto do instrumento como da linguagem. Experiências que nos mudam, nos transformam. Uma das problemáticas mais importantes que afeta (sobre tudo) a educação musical é a dissociação que existe entre os conhecimentos adquiridos e a ação de tocar. Se sabe por um lado e se toca por outro. Cada aspecto do musical é trabalhado por separado e assim se mantém, em canais diferentes e paralelos. A experiência nos mostra que, salvo exceções, o que nasce dissociado assim permanece. O curso nos aproxima a uma metodologia em que a construção que realiza sobre a voz ou instrumento que se inicia (seja criança, adolescente ou adulto), é a ação resultante de uma compreensão integral onde confluem o intelectual e o sensório-motriz. Serão abordados os seguintes temas:

  • Metodologia instrumental em geral (para qualquer instrumento);

  • Metodologia de ensino da linguagem;

  • Integração da compreensão da linguagem na execução;

  • Integração do conhecimento conceitual e a escuta;

  • Importância e efeito dos vínculos no ensino.

Data: 13 a 17 de janeiro de 2019.  Horário: 9h às 17h.  Carga horária total: 40 horas.

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia. Coordenação: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Investimento: R$ 550,00 / R$ 500,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Malena Hermann fez seus estudos básicos e superiores de piano com Violeta de Gainza com quem também estudou pedagogia e percepção auditiva de 1965 até 1982 de forma ininterrupta. Aluna de Gerda Alexander (1971 a 1974) no curso A eutonia e sua aplicação na técnica pianística. Fez curso de Psicanálise na APDEBA (Asociación Psicoanalítica de Buenos Aires). Professora da Escuela de Música Popular de Avellaneda nas disciplinas: Piano Harmônico; Prática docente (didática e prática docente instrumental e linguagem musical). Professora particular de piano para crianças, adolescentes e adultos. Trabalha com crianças com dificuldades motoras e / ou de desenvolvimento. É associada ao FLADEM desde 1996.

Ele bate as palmas, esfrega uma mão na outra, estala os dedos, bate os pés, arrasta a sola dos sapatos, percute peito, barriga e traseiro, explora sons com as bochechas: Keith Terry usa toda e qualquer superfície para explorar todas as suas possibilidades, criando sua música a partir de uma surpreendente variedade de registros sonoros com brilhantes variações rítmicas. Pode-se definir Keith Terry como um bailarino percussionista, cujo trabalho engloba uma gama de disciplinas afins, como música, dança, teatro, performance, dentro de uma visão artística própria criando uma linguagem que transcende padronizações. Keith se define como músico corporal, que a partir do uso do mais antigo dos instrumentos- o próprio corpo - cria uma base para explorar, aliar, mesclar possibilidades rítmicas, percussivas e de movimentos, tradicionais e contemporâneas

Encontro: 21 a 24 de Janeiro.  Horário: 14h às 19h                                                           Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.

Tradução: Elizabeth Dau

InvestimentoR$350,00/R$300,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

KEITH TERRY percussionista / dançarino / educador cuja visão artística transita na linha entre música e dança há mais de quatro décadas. Como solista, já se apresentou no Lincoln Center, Bumbershoot, All Things Considered e Morning Edition da NPR, The World, do PRI, Vienna International Dance Festival, e o Paradiso van Slag do World Drum Festival, em Amsterdã. Como produtor, fez 5 CDs e 4 DVDs para a Crosspulse Media. De 1998 a 2005, Keith fez parte do corpo docente do Departamento de Artes e Culturas Mundiais da UCLA, onde projetou e ministrou vários cursos sobre a relação entre música e dança; escuta profunda; sincronicidade, tempo e tempo; e comunicação intercultural nas artes. Em 2006, concebeu e dirigiu o primeiro International Body Music Performance Project para o Instituto Orff em Salzburg. Keith faz turnê anualmente nas Américas, Ásia e Europa, onde suas apresentações de música corporal, oficinas, residências e comissões coreográficas são conhecidas entre artistas profissionais e educadores. Keith Terry é Diretor Fundador da Crosspulse, uma organização de artes com 32 anos, com sede em Oakland, Califórnia, dedicada à música e dança interculturais baseadas no ritmo. Keith é também o diretor fundador / artístico do projeto Crosspulse: International Body Music Festival (IBMF), festival anual de 6 dias que explora a linguagem da música corporal de cultura para cultura. Desde 2008, o IBMF foi produzido em San Francisco / Oakland, EUA; São Paulo/ Brasil; Istambul/ Turquia; Terni/ Itália; Bali/ Indonésia; Paris/ França; Atenas/ Grécia; Quebec/ Canadá;Gana/África.

http://www.crosspulse.com/

http//www.internationalbodymusicfestival.com/

Apresentação do universo cultural brasileiro produzido predominantemente pela matriz africana e seus descendentes, principalmente por intermédio da dança, do ritmo, permeados pela religiosidade. Em cumprimento à lei 10.639/03 (agora modificada pela lei 11.645/08), trazer à tona a discussão acadêmica sobre a importância do conhecimento e da história contada pelas manifestações populares no campo do gesto e da musicalidade – artes corporais. Vivenciar as manifestações culturais e experimentar o prazer de aprender e trocar informações, envolvidos pelo ambiente lúdico. A dança, a percussão, o canto; (ketu e olubajé), Jongo da Serrinha, Leão Coroado, Lia de Itamaracá, Coco Raízes de Arcoverde, Lucio Sanfilippo); Vivência da dança – o jongo, o coco, a ciranda, o maracatu, as danças dos orixás (Oxum, Oxossi...) – representação mítica; Vivência da percussão – Jongo, ijexá, Agueré, Capoeira.

Encontro: 21 a 24 de Janeiro.  Horário: 8h às 13h.                                                       

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha,  57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: R$350,00/R$300,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana (021) 998043838 (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Lucio Sanfilippo é cantor, compositor, professor de Educação Física, jornalista, mestre e doutorando em Educação. Tem 4 cds gravados – Cordel das Fitas, Canções de Amor ao Leo, A Flor do Velho Engenho e Do Reino da Pedra Miúda. Em 1997, em contato com as aulas de Educação Física, Folclore e Cultura Popular do Instituto de Educação Física e Desportos da UERJ com a Prof.ª Drª Zezé do Folclore, começou a entender que suas carreiras artística e acadêmica eram atravessadas pelas culturas populares transbordadas das religiosidades afro-brasileiras a que desde criança foi integrado. Sua monografia em Comunicação foi sobre Aracy de Almeida, uma das maiores cantoras brasileiras; em Educação Física, sobre o Jongo; dissertação de Mestrado sobre o Agueré de Oxóssi e a tese de Doutoramento em andamento, sobre a Festa, seus transbordamentos e potencialidades na escola, na rua e nos candomblé. No final dos anos 2000, foi convidado a montar uma ementa sobre Musicalidade e Expressão Corporal para a pós graduação África-Brasil: Laços e Diferenças, de Teresa Salgado na Atlântica Educacional, conveniada à UCP de Petrópolis. Daí, para a Argentina, Haiti e projeto de formação de professores. Sanfilippo traz para as trocas neste curso suas experiências com as oficinas de dança do final dos anos 90 que, 20 anos depois, enriquecem-se ainda mais das vivências acadêmicas, populares e especificamente religiosas.

Horário: 9h às 17h.                                                 

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: R$550,00/R$500,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana (021) 998043838

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Contextualização. O litoral argentino e a sua música. Contexto e desenvolvimento histórico, social e político. Mestiçagem de três culturas (originaria, africana e europeia). Importância da presença africana na cultura da região. Relação música/paisagem. A transmissão oral como fonte de aprendizagem. A escrita musical.

Matrizes e características musicais. Ritmo. O “toque Congo” ou “ritmo de tango” como sínteses da música banto/americana. Suas variantes em 6 x 8. Exercícios através da voz, o corpo e a percussão. Improvisação. O Cajon no Litoral. A relação música/dança. A poesia. Inter-relação entre pesquisa e criação artística.

Chamamé. Linguajem rítmico-harmônico-melódico característico. Instrumentação. Referências e obras destacadas. Repertorio. Temáticas em suas letras. O toque de tambor. Contexto social, histórico e religioso. Pontos de encontro com os ritmos afroparaguaios.

Milonga. Chamarrita. Rasguido doble. Tanguito montielero. Referências e obras destacadas. Padrão rítmico como elemento unificador. Características rítmicas, harmônicas e melódicas de cada género. Instrumentações. Repertorio. Recreação de antigos candombes. Instrumentos, padrões rítmicos e seu conjunto, cantos.

Práticas musicais vigentes de raiz afro. A zemba ou charanda. O toque de tambor no chamamé. As Batucadas.

Gualambao. Referencias e obras destacadas. Repertorio. Características rítmicas, harmônicas y melódicas. Possibilidades rítmicas. Instrumentações

Pablo Suarez Flautista, percussionista, professor e pesquisador. Se dedicou a percussão afroamericana. Através de inúmeras viagens aprofundou seus conhecimentos com professores como Carlos Aguirre (Arg.), Osvaldo Fatorusso e Sergio Ortuño (Uruguai), Naná Vasconcelos, Hermeto Pascoal e Toninho Carrasqueira (Brasil), Abdoulaye Badiane (Senegal), Thobos Lubamba (Congo), Miguel Ballumbrosio (Peru), entre outros. Tem integrado e/ou dirigido diversos grupos de música popular. Desenvolve numerosas atividades pedagógicas pelas quais tem sido convidado por universidades e instituições do Brasil, Peru e Argentina.

Sebastián Martínez Professor da Universidad Autónoma de Entre Ríos (UADER). Formado em "Instrumentista de Música Popular" e "Professor de Instrumento em Música Popular" (Escuela de Música Popular de Avellaneda). Estudou percussão, harmonia e composição. Trabalhou com a educadora infantil Mariana Baggio. Tocou e gravou com vários grupos. Ministra várias oficinas: Universidad Nacional de Artes (Buenos Aires), Casa de Entre Ríos (Bs. As.), Conservatorio C. Guastavino (Rosario), 2do. Cong. Pedagógico (EMPA), “Encuentro Reg. del litoral (Rosario), Festival Internacional de Percusión "Rosario Repercute”, entre otros. Integra: “Damián Lemes Cuarteto” / “Nardo Gonzalez Grupo”.

Cantando e brincando como Vovó Linda é um convite ao canto, ao jogo e à brincadeira. São convidados os papais e mamães, os vovôs e vovós, os educadores musicais infantis, professores generalistas e todo aquele que se ocupe do universo infantil.

Ermelinda Paz encerrou um ciclo de 40 anos ininterruptos (1972 – 2012) atuando como professora e pesquisadora na Escola de Música de UFRJ e no Instituto Villa-Lobos da UNIRIO, quando então produziu textos voltados para a Educação Musical e Musicologia brasileira. 2017 dá início a uma nova fase, onde o lúdico se revela através de jogos e brinquedos cantados e ocupa lugar de destaque através do Cantando e brincando com Vovó Linda - Vols. 1 e 2. No Vol. 1 – são resgatadas as canções que estiveram em voga na Educação Musical infantil entre os anos de 1940 e aproximadamente 1970 e que foram relegadas ao esquecimento. No Vol. 2 – ela nos traz as músicas da tradição oral brasileiras.

Encontro sábado: 5 de outubro de 2019 Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Coordenação: Adriana Rodrigues. (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados FLADEM

www.fladembrasil.com.br

Encontro sábado: 19 de outubro de 2019 Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Coordenação: Adriana Rodrigues. (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados FLADEM

www.fladembrasil.com.br

O Roda de Palhaço é um projeto artístico que há mais de 10 anos promove o encontro de palhaços e crianças em dois hospitais públicos da cidade. Durante o ano, uma dupla de palhaços visita duas vezes por semana as enfermarias pediátricas de dois hospitais públicos, realizando intervenções leito a leito. Desde 2016, o projeto acontece no Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira/UFRJ e no Hospital Federal dos Servidores do Estado. O palhaço no hospital possibilita o resgate de princípios essenciais do relacionamento humano. Especialistas que trabalham com humanização
hospitalar afirmam que a presença dos palhaços nas enfermarias cria efeitos extremamente positivos para as crianças, incluindo aceitação do tratamento e redução do tempo de internação.
Esta oficina pretende ser um espaço de encontro entre artistas-palhaços e estudantes de música para experimentar a combinação surpreendente do jogo do palhaço com a prática de canto em grupo. A música é usada como recurso fundamental na performance do palhaço em suas visitas às crianças hospitalizadas e também como linguagem para a cena. Através de exercícios, jogos e brincadeiras, a oficina tem como objetivo oferecer aos alunos uma experiência diferente trazendo os princípios que regem a atuação do artista/palhaço/instrumentista em sua vivência musical. Não se trata de uma aula de palhaçaria nem de criação de cenas cômicas, mas de exercitar entre os participantes a capacidade de olhar, ouvir e estar disponível para a interação com o outro através do humor, do erro como potência criativa e da descontração durante a prática musical.

Julia Schaeffer e Guilherme Miranda são artistas e trabalham como palhaço/a em intervenções em hospitais há mais de 10 anos. Trabalharam juntos na Ong Doutores da Alegria até 2008 e, desde então, seguem realizando projetos que apostam no encontro entre arte e saúde. Madá Nery é atriz e cantora, participou de diversas montagens para o teatro infantil, tendo atuado sob a direção de Karen Acioly e Florence Lavaud – Chantier Thèâtre, França. Desde 2017, atua como mestre de cerimônias dos projetos de concertos didáticos Sala de Música e Concertante. Integra o conjunto Calíope e o Coro Sinfônico do RJ. Coordenou, entre 2010 e 2016, o Coro de Crianças da OSB. Desde 2017 participa como artista e preparadora vocal do projeto Roda de Palhaço e, em 2018, criou, com Julia, Guilherme e mais 4 artistas, o espetáculo musical “DesConcerto”.

1- Apresentação de um documentário vídeo sobre a atuação dos Músicos do Elo
2- Discussão: Ser Músico do Elo, uma escolha de engajamento para músicos instrumentistas e para educadores musicais
3- Jogo coletivo de percepção sonora
4- Aula teórica:

a. O que é a humanização;

b. O que é um hospital?

c. A humanização e a qualidade de vida. O Músico do Elo não é um concertista não é um animador não é um musicoterapeuta,
5- Exercícios práticos

a. de linguagem não verbal (através da interpretação de músicas instrumentais ou vocais)

b. criar e apresentar/oferecer: i. paisagens sonoras ii. Coletivas iii. Individuais iv. criar um túnel sonoro
6- Apresentação de um segundo documentário vídeo
7- Discussão final, perspectivas de desenvolvimento do projeto no Rio de Janeiro

Sábado 28 de setembro de 2019. Horário: 9h às 17h
Local: Conservatório Brasileiro de Música Centro Universitário. Av. Graça Aranha,
57/12º andar. Metro Cinelândia. RJ.

Coordenação: Adriana Rodrigues
Investimento: R$ 100,00 / R$ 150,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM
(fladembrasil.com.br)
Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Victor Flusser graduação ECA USP, doutorado Universidade d’Aix, Marseille; tese de livre docência Universidade de Pau. Professor universitário da Universidade de Estrasburgo, França (Prática da música contemporânea). Professor convidado em diversas universidades europeias, Israel, Canadá, Brasil. Criador e diretor do CFMI da Universidade de Estrasburgo, (Centro
formação de Músicos Intervenientes nas escolas primárias para desenvolvimento de projetos musicais com as crianças e com os professores). Diretor do projeto europeu de Músicos Atuantes em Hospitais (França, Portugal, Itália, Espanha, Alemanha, Brasil). Responsável do projeto de Diploma de Universidade (formação a distância), de músicos atuantes em hospitais, universidade de Estrasburgo.


Publicações: Musiciens du Lien, ed Publibook, Paris; Je te dis démerdes-toi, ed Sociéte des Ecrivans, Paris; Conversations avec Murray Schafer ed. do Cfmi, Universidade de strasburg; Diretor de publicação das revistas Musique à l’hôpital, Musique en intitutions Sociales, ed Cfmi; Músicos do Elo, ed Ana Blume, SP; Diversas composições para crianças, ed Fuzeau, Paris, ed Notissimo, Paris, ed Momeludies Lyon.


Páginas web: www.musicosdoelo.org; http://les-musiciens-de-l-accueil.org/

Vivência musical baseado nas ideias pedagógicas de

Carl Orff. Esta oficina visa desenvolver alternativas pedagógicas através de jogos de diversas culturas e danças e fomentar a criatividade artística-musical através da expressão corporal e construção de materiais para a prática pedagógica. Público alvo: Professores de educação infantil, fundamental I, música, estudantes de música, pedagogia e interessados em geral no tema. Os participantes deverão vir com roupa confortável.

Mayumi Takai – Licenciada em música, pedagoga, psicomotricista e graduada pela Mills College de São Francisco (EUA) em Orff Certification Program. Especializou-se na área de educação musical ao participar de diversos cursos, tais como Kodaly, Dalcroze, Willems, Suzuki, com ênfase, Orff-Schulwerk. Estudou como bolsista no Instituto de Pesquisas Educacionais do Governo Metropolitano de Tóquio (Japão) e participou também de cursos na Hungria (Universidad de Verano de Esztergom), Áustria (Instituto Orff de Salzburgo), Espanha e EUA. É Membro fundadora e diretora da ABRAORFF (Associação ORFF Brasil). Atualmente é professora de música do Colégio Santo Américo e vêm ministrando cursos e oficinas para professores, arte-educadores, regentes sobre a pedagogia Orff-Schulwerk nos curso de extensão universitária, Curso Internacional da Sociedade Kodaly do Brasil, Encontro da ARCI (Associação de Regentes de Coro Infantil), SESC, Associação ORFF Brasil (ABRAORFF), ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical), ACC (Associação de Canto Coral), FLADEM (Fórum LATINOAMERICANO de Educação Musical) , nos congressos de educação musical no Brasil e no exterior. Fez parte da equipe de pesquisa “Os efeitos da Educação Musical em crianças com problemas de leitura” do Departamento de Psiquiatria e Psicologia Médica da UNIFESP.

Encontro sábado: 03 de agosto de 2019 Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Coordenação: Adriana Rodrigues. (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados FLADEM
www.fladembrasil.com.br

Na oficina abordaremos os benefícios da música e do movimento a partir da utilização da biodanza. Trabalharemos a prática através de vivências de uma aula de biodanza e também os aspectos teóricos da metodologia. O objetivo é sensibilizar o educador musical sobre a importância de olhar para si, e refletir a respeito da sua atuação como educador, além de apurar o olhar e percepção para o aluno e a sua dinâmica em sala de aula.

16h: Roda de Conversa e Lançamento do livro Biodanza com crianças: um caminho para o mundo Biocêntrico. RJ: Semente Editorial, 2018.

Julia Rodrigues- Psicóloga, arteterapeuta, Professora de Iniciação Musical do Centro Musical Antonio Adolfo e Facilitadora de Biodanza com Especialização em Biodanza com crianças pela Escuela de Biodanza da Ciudad de Buenos Aires – Argentina). Tem Especialização em Educação musical pelo CBM CEU/Fladem Brasil- Fórum Latinoamericano de Educação Musical. Coautora com Beatriz Câmara do livro Biodanza com crianças: um caminho para o mundo Biocêntrico. RJ: Semente Editorial, 2018.


Marina Fagundes Gueiros –Psicóloga, mestranda em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde Coletiva da UFRJ, Arteterapeuta, Facilitadora de Biodanza (Formada pela Escola de Biodanza do Rio de Janeiro) e formada em Análise Transacional pelo Instituto Alberto Tavares.

Encontro: sábado 17 de agosto de 2019 Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Foro Latinoamericano
de Educación Musical

FLADEM www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Data: Sábado 24 de agosto de 2019. Horário: 9h às 17h
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. Metro Cinelândia. RJ.
Coordenação: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838
poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com
Investimento: R$ 100,00 / R$ 150,00 Alunos CBM, e Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

É o instrumento mais acessível para ganhar experiência e educação musical em grupo no ambiente escolar. Se isso for verdade, nos perguntaremos:
1. É possível um professor de música se tornar um bom regente de coral no ambiente escolar?
2. É possível um coro na escola se tornar um coral de boa qualidade, sem selecionar os alunos? E o que faremos com aqueles que têm dificuldade em afinar?
3. Que benefícios pessoais, sociais, culturais, musicais e artísticos cada aluno pode ter ao vivenciar o canto coral na escola?
Para responder a essas perguntas, os participantes deste curso irão experimentar:
1. Técnicas para uma regência coral efetiva
2. Anatomia e fisiologia da voz e ouvido musical
3. Pedagogia lúdica para sensibilizar a voz do aluno e o ouvido musical (sem prévia seleção), coordenando com o aprendizado da linguagem musical e do repertório.
4. Proposta de repertório atraente e simples
5. Importância de uma pedagogia inclusiva que permita a participação de cada aluno (apesar da diferença em seus níveis) a. Mudança de papéis; b. questões inclusivas.
6. Contribuição social multicultural e artística
7. Experimentação do trabalho em equipe não competitivo e reflexão sobre a autoestima individual. (Eva Lautersztein)

Eva Lautersztein - recebeu sua formação pedagógica musical com Violeta de Gainza. Desde 1969 se estabeleceu em Israel. Fundou e dirigiu o coro de renome de crianças e jovens Cantabile. É Professora de Regência Coral na Academia de Música de Jerusalém; na Universidade Bar Ilan; no Colégio Levinsky em Tel Aviv e no Ohalo College no norte de Israel.
Supervisora de regentes corais de escolas públicas do Ministério da Educação. Pesquisa aspectos sociais, culturais, afetivos, educacionais e artísticos com os quais o jovem é confrontado através da atividade na sala de aula regular de coral (não seletivo). Pesquisa o impacto social do canto coral entre os povos em conflito, como é o caso das crianças árabes e judias em Israel.
Convidada a ministrar oficinas em vários países como a Hungria, Alemanha, Inglaterra, Irlanda (ISME), Espanha (IFCM), Costa Rica e Guatemala (FLADEM). A Universidade Bar Ilan, em 
Israel (versão em hebraico) e a editora Noveduc na Argentina, publicaram seu livro O coro na escola: atividades e jogos para a sala de aula coral. https://www.noveduc.com/l/coro-en-la-escuela-el/1961/9789875385443

O curso apresenta um panorama de estudos sobre a improvisação, com ênfase na improvisação livre. Através da utilização de um vibrafone, instrumento de percussão de afinação determinada cuja produção sonora é acessível ao ouvinte leigo, propõe-se uma oficina inspirada nos coletivos de improvisação dos anos de 1960, em que os ouvintes participavam do processo criativo juntamente com os músicos profissionais. Nela, ênfase na possibilidade antropológica e humanista da música como comunicação entre sujeitos de culturas de audição diferentes, que desenvolvem uma língua comum ao mesmo tempo em que reforçam as suas identidades.

Arthur Dutra – Compositor, vibrafonista, baterista e percussionista, estudou com Luiz D’Anunciação (Pinduca) e na Universidade da Cidade de Nova York, onde completou o bacharelado em 2005. É também bacharel em Ciências Sociais pela PUC-Rio, mestre em filosofia pela UFRJ e doutorando em musicologia na Universidade de Rouen-Normandia (França). Apresentou a oficina de música O Solo Imprevisto na casa de cultura da Universidade de Rouen, na biblioteca André Malraux, em Paris, e na Casa Música & Inovação, no Rio de Janeiro. Foi professor do Cigam -Centro Ian Guest de Aperfeiçoamento Musical - e da Escola de Música da Rocinha. Participou de álbuns de diversos artistas da MPB e da música instrumental brasileira. Apresentou-se em todo o Brasil, além de EUA, França, Holanda, Alemanha, Eslovênia, Portugal e China. Em 2012 recebeu o prêmio-bolsa Icatu de Artes. Tem quatro discos lançados, entre os quais A Musa de Benjamin & Outros Ensaios e Encontros (MP’B/Som Livre) em parceria com o saxofonista Zé Nogueira. Em 2014 lançou seu primeiro livro, Arte D&Encarte, pela editora Oficina Raquel.
https://www.youtube.com/watch?v=1CvZLqiHX1w
https://www.youtube.com/watch?v=VnTl7nf5GHA

https://www.youtube.com/watch?v=U4gJbbCOODk
https://www.youtube.com/watch?v=yIq0mVp0cVA

Encontro sábado: 31 de agosto de 2019 Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Coordenação: Adriana Rodrigues. (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados FLADEM
www.fladembrasil.com.br

Encontro sábado: 14 de setembro de 2019 Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Coordenação: Adriana Rodrigues. (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados FLADEM

www.fladembrasil.com.br

Esta oficina busca ampliar a atenção sobre as relações internas do corpo e o seu entorno, através da percepção do movimento e da dança. Lançar um novo olhar sobre a questão das diferenças na dança e no mover, onde a pesquisa de movimento entre corpos ímpares, com resoluções próprias de movimento, é fonte de criação e de novos estímulos. Contribuir através do fluir estético que envolve a diferença na percepção de si, do outro e da multiplicidade dos indivíduos. Conteúdo:

A oficina articula conteúdos relativos à percepção do movimento e da dança contemporânea estimulando a pesquisa e uso de novas ações corporais, através de:

  • Percepção e estimulação da pele e do esqueleto;

  • Os ossos e a suas relações com o sistema muscular e o espaço;

  • Uso das articulações, relações e dissociações no mover se;

  • Pesquisa dos apoios corporais no chão, e/ou diferentes materiais.

  • Contato-Improvisão

  • Jogos Corporais

Teresa Taquechel - Mestranda em Artes Cênicas, pela UNIRIO, possui graduação em Química. Formada pela Escola Angel Vianna em Dança Contemporânea, Recuperação Motora e Terapia Através da Dança (1991) e pelo Método Internacional Feldekrais (2012). Atualmente é coordenadora do Pós Graduação Corpo, Educação e Diferenças, na Faculdade Angel Vianna, professora da Escola Angel Vianna, diretora, coreografa e bailarina da Pulsar Cia. de Dança, desde sua fundação em 2000. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: dança contemporânea, acessibilidade, conscientização através do movimento e criação coletiva.


Rogério Andreolli  - Gaúcho, residente no Rio de Janeiro há mais de 35 anos, ator, bailarino profissional e psicólogo (pós-graduado em psicologia hospitalar). Teve poliomielite aos 9 meses de idade. Militante no movimento PcD desde 1984, colaborou com a extinta ADEFERJ e com o CVI desde sua fundação. Sempre atuante como ativista no movimento cultural e artístico das pessoas com deficiência é co-fundador da Pulsar Cia. de Dança, presidente do Very Special Arts do Brasil (Artes sem Barreira) e atualmente Conselheiro Municipal de Cultura na cadeira de Expressão das artes das pessoas com deficiência.

Para se compor uma música pode-se dispor de técnicas várias que permitem se obter diferentes resultados. Na composição intuitiva, o que se valoriza é a constante relação autor-espectador de uma peça teatral cujo texto está sendo criado. O compositor se coloca na função do autor, propõe um texto curto e, logo em seguida, se torna o espectador que avalia e orienta a sequência da peça. A proposta é retornar o criar-ouvir ao primeiro plano, e ter o conhecimento técnico dessa obra em segundo plano. Primeiro a intuição e depois a análise, como é feito, em geral, pela maioria de compositores de
música popular do mundo inteiro. Durante a aula colheremos propostas da turma toda, e escolheremos três que serão desenvolvidas. A harmonização e o detalhamento rítmico da peça serão manuseados também de maneira intuitiva.

Encontro sábado: 21 de setembro de 2019 Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Coordenação: Adriana Rodrigues. (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados FLADEM

www.fladembrasil.com.br

Leandro Braga - compositor, pianista e arranjador já gravou com diversos nomes da música brasileira, entre eles Beth Carvalho, Chico Buarque, Caetano Veloso, Simone, Djavan, Tim Maia. Fátima Guedes, Emílio Santiago, Elba Ramalho, Guinga, Leny Andrade, Fafá de Belém, Adriana Calcanhoto, entre tantos outros. Com Ney Matogrosso, atuou como diretor musical, arranjador e pianista em vários dos seus shows e CDs. Com amplo conhecimento musical, gravou diversos CDs, transitando por diferentes gêneros. Na gravadora MP,B lançou o “Pé na Cozinha”, em parceria com músicos de primeira, como Zé Nogueira, Marçalzinho, Bororó, Ricardo Silveira, lhe rendendo três prêmios Sharp, em 1999. Com o CD “Primeira Dama” –faz uma leitura instrumental da obra de D. Ivone Lara, indicado ao prêmio Grammy Latino. Gravou CD ao lado de Gilson Peranzzetta e João Carlos Assis Brasil. Em 2013, lançou “Fé Cega”, uma homenagem ao Milton Nascimento. Fora dos estúdios, Leandro foi responsável pela regência e direção musical da temporada paulista da ópera Evita, Escreveu vários trabalhos para orquestras Sinfônicas, a exemplo da orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Petrobras Sinfônica e a Jazz Sinfônica de São Paulo. Como o assunto que Leandro mais entende é música, ele recebe toda semana, um artista, produtor musical, arranjador e quem circular no universo musical, no Programa “Quem Toca”, que vai ao ar na Rádio Roquette Pinto. Atualmente Leandro está em turnê, como diretor musical e tecladista que promove o CD da cantora Simone, “É Melhor Ser”, lançado pela Biscoito Fino, no qual foi responsável pelos arranjos, produção e direção musical, além de acompanhá-la como pianista. Atualmente, realiza apresentações do Quarteto Leandro Braga, como no Festival Villa-Lobos, executando sua “Suíte dos Orixás “, em uma formação de piano, fagote e 2 percussões. Além disso, tem realizado shows com o Trio Leandro Braga, executando a obra de Villa-Lobos.

O curso articula questões e abordagens de pesquisa científica em música. Por meio de proposições metodológicas e teóricas, o curso caminhará na discussão sobre a música, como construção de conhecimento e como objeto de investigação científica. Abordará também a questão de rede com outras áreas de conhecimento e sua possível correlação no processo de pesquisa. Assim, o curso tem o propósito de apontar caminhos e possibilidades que possam auxiliar o pesquisador organizar de forma planejada, as etapas de sua pesquisa. Serão apresentadas técnicas, métodos e estruturas para a produção da pesquisa. Problemas, hipóteses, métodos científicos e meios de revisão de literatura, estarão em debate para aprofundar o conhecimento acerca da produção do saber por meio da Metodologia de Pesquisa e o desenvolvimento da pesquisa.

Encontros: sábados 2, 9, 16 e 23 de fevereiro de 2019

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$500,00/R$450,00 alunos CBM e Associados Forúm Latinoamericano de Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Leonardo Moraes Batista  É Licenciado em Música (2012) e Especialista em Educação Musical (2014) pelo Conservatório Brasileiro de Música (CBMCEU). Mestre em Educação Musical (2015) e Doutorando em Etnomusicologia (2018) e também integrante do Laboratório de Etnomusicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É docente na Especialização em Educação Musical do CBM-CEU e é líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Musical GEPEM/Fladem Brasil/UNICBM, com ênfase em pesquisas que tratam de abordagens relacionadas à formação docente, aos estudos decoloniais e interculturais, com projeto de pesquisa intitulado - Música, Cultura, Educação: pensando a Educação Musical nos/dos/com os múltiplos espaços de ensinoaprendizagem. É membro da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN). É membro e compõe o Conselho Fiscal da Associação Brasileira de Educação Musical (ABEM), na gestão 2017-2019. É membro e Presidente da Seção Nacional do Fórum Latino Americano de Educação Musical (FLADEM) Fladem Brasil, na gestão 2017-2019. Tem interesse nas seguintes áreas de investigação: educação musical, etnomusicologia, educação, decolonialidade, interculturalidade, diversidade cultural, cultura, relações étnico-raciais, pesquisa em música, formação de professores e políticas de educação brasileira 

(http://lattes.cnpq.br/6703096527905876).

Encontros: sábados 16 de março e 6 de abril de 2019

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Forum Latinoamericano
de Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Nesse curso será estudada a obra KinderMusik (1973) de Boris Porena, compositor e educador musical italiano dedicado às práticas criativas, como meio de incentivar os alunos a desenvolver técnicas específicas de invenção e improvisação, visando sua aplicação em procedimentos de educação musical. O nome da obra não se refere a uma coleção de músicas infantis, mas procura despertar a criança que vive no interior de todos nós no processo de fazer música. O livro é inédito no Brasil e constitui-se em uma grande contribuição para o desenvolvimento de práticas criativas e do conhecimento do repertório musical de várias épocas e estilos, incluindo procedimentos comuns à música de vanguarda. OBJETIVOS: apresentar aos alunos do curso a obra KinderMusik de Boris Porena; permitir que eles se familiarizem com diversas propostas, técnicas, repertório, e de incentivo à familiaridade com procedimentos criativos; reconhecer que as técnicas de práticas criativas auxiliam na formação musical, na medida em que desenvolvem o protagonismo e a autoria, independentemente do grau de conhecimento musical do estudante; demonstrar que o domínio dessas técnicas pode ser extremamente pertinente ao educador musical no exercício de suas atividades de ensino, pelas possibilidades que abrem para o trabalho coletivo, com grupos de qualquer idade e/ou nível de conhecimento musical; colocar os estudantes em contato com a obra desse músico, para que amplie sua experiência com diferentes técnicas de fazer musical.

Marisa Fonterrada É Professor Livre-Docente em Técnicas de Musicalização pelo Instituto de Artes da UNESP; Doutora em Antropologia e Mestre em Psicologia da Educação. Bacharel em Música. É Docente do Programa de Pós-graduação em Música do IA/UNESP e Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Educação Musical da mesma universidade – G-PEM. Diretora do Instituto de Artes da UNESP (2000/2004) e da Escola Municipal de Música de São Paulo (1977/1985). Responsável pela criação e instalação da EMIA – Escola Municipal de Iniciação Artística (1980/81) e da ETEC de Artes do Centro Paula Souza em São Paulo (2008/2009). Autora de livros e artigos sobre música, educação musical e ecologia acústica. Tradutora de Murray Schafer, com os livros O ouvido pensante (Unesp, 1991/2008), A afinação do mundo (Unesp, 2001/2008), Educação sonora (Melhoramentos, 2010) e OuvirCantar: 75 exercícios para ouvir e criar música (Unesp2019).
Membro da ABEM, FLADEM, Fladem/Brasil, The Wolf Project, WFAE (The World Forum for Acoustic Ecology).

Encontros: Sábado 13 de Abril de 2019.

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Forum Latinoamericano
de Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

A oficina tem como objetivo trazer propostas para o desenvolvimento de uma escuta sensível, como um caminho para a ampliação da experiência musical e sua aplicação por cada participante. Tendo a percussão corporal e os sons vocais como ferramentas principais, abordaremos aspectos diversos para ampliar e desenvolver capacidades e conhecimentos como coordenação motora, independência rítmica, produção de qualidades sonoras, criatividade, entre outros aspectos. Para isso, será introduzida a técnica de percussão corporal, o aprendizado de ritmos diversos, além de jogos de escuta, interação e criação.

Maurício Maas tem Mestrado pela USP mestrado, com a dissertação “Música corporal e jogos musicais corporais: um estudo das práticas do grupo Barbatuques na educação musical do artista teatral”. Músico multi instrumentista, ator, professor, arte-educador, sonoplasta, diretor e produtor musical, é integrante do grupo Barbatuques desde 2001. Com o grupo, teve a oportunidade de se apresentar artisticamente e ministrar cursos, oficinas e workshops de percussão corporal por todas as regiões do Brasil e em mais de vinte países. Tocou e gravou com diversos nomes. Como músico instrumentista (violão, piano, contrabaixo, acordeon, percussão, bateria dentre outros), participou de diversos shows. Colaborou com diversos grupos e companhias teatrais, seja como ator, músico, diretor musical, preparador musical ou compositor de trilhas sonoras. Ministrou aulas de teatro e música corporal em diversas escolas e universidades. É professor especialista no Curso de Formação em Teatro Musical no SESI-SP, onde leciona desde a sua criação em 2014, a disciplina “Percussão Corporal”.

A divulgação, análise e discussão da contribuição dos pedagogos musicais latinoamericanos para a produção de conhecimento neste campo é apenas uma ideia que começa ser estudada. A propulsora e pioneira neste sentido, como pensadora, estudiosa e difusora, foi a professora Violeta de Gainza, quem gerou a discussão a respeito e convidou seus colegas e alunos para abordar o tema a ser proposto. A formação de professores de muitas instituições especializadas na América Latina, ainda promovem os métodos históricos de Educação Musical, com uma forte ênfase na Europa Central, talvez com vislumbres de Estados Unidos e Japão. Parece ser o momento oportuno de abrir as portas para as vozes latinoamericanas assumindo as possibilidades de construir um discurso próprio, a partir da revisão do que existe e nos remetendo a uma grande transformação. Este é o desafio. Simultaneamente, esta atividade formará parte do ano 2019 -Comemorativo e dedicado a Mtra. Gainza por sua contribuição ao desenvolvimento da educação musical na América Latina. A jornada será também uma celebração, e incluiremos os educadores da Guatemala, faremos um pequeno parêntesis para cantar e dançar ao som das marimbas guatemaltecas!

Encontro: sábado 27 de abril de 2019

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Foro Latinoamericano
de Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838
poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Ethel Marina Batres Moreno É educadora e investigadora guatemalteca. Doutorado em Investigação Social, Mestrado em Literatura Hispano-americana. Estudos de Piano e Teatro. Integra e dirige grupos musicais diversos Autora de 31 Cds para crianças, 19 livros individuais, 26 em coautoria e 3 jogos para computador. Publica em revistas nacionais, estrangeiras e eletrônicas. Docente em todos os níveis educativos da Guatemala. Fundadora do Programa ¡VIVA LA MÚSICA! para grupos musicais escolares, que completa 25 anos em 2019. Foi presidente internacional do Foro Latinoamericano de Educación Musical –FLADEM (2009-2013), entidade da qual é Membro do Conselho Assessor e é membro diretivo do Conselho Latinoamericano de Educação pela Arte – CLEA. Consultora em seu país nas áreas de Educação Artística e Musical, nos Ministérios de Educação, Cultura, GYZ, USAC e UNICEF. Consultora internacional e/ou docente convidada na Universidade Nacional Autónoma de México, em universidades brasileiras, em universidades de El Salvador, Honduras, Argentina, Puerto Rico y Guatemala, assim como para os Ministérios de Educação do Peru, Bolívia, Uruguai e Paraguai. Foi produtora do programa “La magia de la música” em Radio Universidad e locutora em “Tardes chapinas”, programa de difusão da marimba e música da Guatemala. Tem participado de cursos, congressos e seminários de Educação Musical, Educação pela Arte, Edição literária e Literatura Infantil em 19 países latinoamericanos, Estados Unidos, Espanha e Itália. Liderou –conjuntamente com Fladem Guatemala - a campanha #RescatemosLaEducaciónMusical, devido a perda da mesma em diversas instancias e níveis educativos do país, luta que continua com vários educadores musicais comprometidos com este ideal. Atualmente dirige as carreiras de Professorado e Licenciatura em Educação Musical na Faculdade de Música da Universidade Da Vinci da Guatemala.

Encontros: Sábados 30 de março e 4 de maio de 2019.

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Forum Latinoamericano
de Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

O Curso irá abordar interfaces teóricas e metodológicas no planejamento e prática de projetos criativo-musicais na educação musical. As atividades articulam momentos de vivência de práticas musicais criativas e de reflexão sobre concepções e desafios em sala de aula. O curso fundamenta-se em estudos sobre a aprendizagem criativa e o ensino musical criativo em práticas musicais colaborativas, com ênfase em atividades de composição musical. Também será focalizada a reflexão crítica sobre processos de planejamento e a integração entre conhecimentos musicais e pedagógicos na ação docente.
Observação: é recomendável utilizar roupa confortável para sentar-se no chão.

Viviane Beineke É Professora do Departamento de Música e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Doutora em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), desenvolveu a tese "Processos intersubjetivos na composição musical de crianças: um estudo sobre a aprendizagem criativa". Realizou Pós-Doutorado na Ludwig Maximilians-Universität München (LMU), na Alemanha. É editora da Revista Música na Educação Básica da ABEM. Autora da coleção “Canções do mundo para tocar”, com arranjos para grupo instrumental de canções de diferentes países e do livro/CD/CD-Rom para crianças “Lenga la Lenga: jogos de mãos e copos”, publicado no Brasil, Portugal e Uruguai. Tem artigos publicados em revistas nacionais e internacionais. Desenvolve pesquisas sobre os processos de construção dos conhecimentos pedagógico-musicais na formação do professor de música, produção de material didático e práticas criativas no ensino de música.

Encontros: Sábados 23 de março e 11 de maio de 2019.

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Forum Latinoamericano
de Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

O gesto, o movimento expressivo e a percussão corporal em processos de musicalização. Novas abordagens e ferramentas didáticas. As relações entre o movimento, o ritmo e a pulsação. O corpo e o espaço como instrumentos de sensibilização musical. Células rítmicas e Ritmo aditivo. A criação de padrões rítmicos a partir de um conceito de encadeamento de células e não somente através da subdivisão da pulsação. O princípio aditivo incorporado a didática de instrumentos musicais. Aplicação da metodologia em vários gêneros musicais, do clássico ao popular. O objetivo é que o aluno possa elaborar percursos e materiais didáticos utilizando as ferramentas propostas, integrá-las a outros métodos e adaptá-las aos próprios objetivos e público-alvo.

Sergio Ghivelder tem uma formação musical eclética. Nascido no Rio de Janeiro, estudou música barroca na Holanda, flauta de bambu (Bansuri) na Índia e didática da música na Itália (Orff-Schulwerk) e no Brasil, onde formou-se pelo Conservatório Brasileiro de Música. Também participou de várias gravações e com o grupo instrumental Soma lançou, em 1991, o CD Southern Cross na Alemanha. Atualmente Sergio dedica-se aos novos horizontes da didática da música desenvolvendo processos de musicalização que utilizam o corpo, o espaço e o movimento.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3349433807165684

Neste curso pretende-se propor reflexões e práticas acerca da iniciação instrumental, com uma abordagem que busca relacionar a aquisição de conhecimento musical a atividades de criação. Serão tratadas questões como leitura, técnica, percepção auditiva, análise, expressão, criação e improvisação. Serão apresentadas propostas de improvisação e modelos de acompanhamento. Os participantes serão convidados a
experimentar essas propostas ao piano, assim como estimulados a buscarem outras ideias e a criarem seus próprios modelos. Verificaremos os desdobramentos dessas práticas no que se refere ao desenvolvimento de habilidades e à apreensão de conhecimentos que possam colaborar com o crescimento musical do aluno.

Encontro: sábado 25 de maio de 2019

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Foro Latinoamericano de
Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Laura Longo  é educadora musical e pianista. Mestre em Música, e Pós-Graduada em Pedagogia do Piano. Bacharel em piano e curso de aperfeiçoamento pianístico com Carlo Bruno em Roma – Itália. Estudou com Maria José Carrasqueira. Participou ativamente de Master Classes e cursos de Alta Interpretação Pianística no Brasil e na Itália. Autora do livro Divertimentos, para piano, tem ministrado palestras e cursos para professores em eventos, escolas de música e em universidades tais como: UNICAMP, UFAL, UNESP, UFSJ, Faculdade Santa Marcelina e apresentado trabalhos em congressos como ISME, FLADEM, ABEM, CNEM, SIMCAM, ANPPOM e CONVEP. Sempre interessada pelas questões pedagógicas e didáticas do ensino da música, fez inúmeros cursos, recebendo orientação dos professores: Violeta Gainza, H. J. Koellreutter, Iramar Rodrigues, Verena Maschat, Maria Ördog, Agnes Kauer, Carlos Miró, Judith Akoschky, Caroline Fraser entre outros, o que lhe possibilitou a obtenção de um embasamento amplo e seguro para sua atuação no trabalho de formação musical. Desenvolve intensa atividade didática desde 1990, como professora de piano (individual e em grupo), musicalização, teoria e percepção. Foi orientadora de grupos infanto-juvenis de Música de Câmara e instrumental Orff. Ministrou aulas na Universidade Livre de Música – Tom Jobim / EMESP – Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim, no Conservatório Musical Brooklin Paulista, na Teca Oficina de Música, no Instituto Baccarelli. Atualmente é professora na EMIA – Escola Municipal de Iniciação Artística.

 

http://lauralongo.com.br/

Encontro: sábado 8 de junho de 2019

Horário: 9h às 17h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Foro Latinoamericano de Educación Musical FLADEM www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

A criação musical, que há setenta anos estava restrita a músicos profissionais, é hoje acessível a amadores e crianças. Esta prática pode ser sua primeira experiência musical e a base de um processo educacional. O estudo de estratégias composicionais mostra que no centro do processo criativo encontra-se uma “ideia musical”. O que é uma “ideia musical”? Trata-se de uma singularidade sonora que atrai a atenção do músico e o incita a estendê-la. Para estender sua descoberta, ele a repete com variações. A ideia musical – que há um século era geralmente um tema ou um motivo – é, nos dias de hoje, geralmente uma sonoridade particular. No entanto, repetir e variar um som distinto é típico do comportamento de exploração sonora da primeira infância, algo conhecido como “reação circular”. Assim, desde a infância, é possível encorajar um comportamento de exploração que se torna invenção, uma vez que seja intencional. Tal comportamento pode ser enriquecido pela dimensão simbólica e, posteriormente, pelo gosto pela construção. A criança percorre diferentes formas de jogo, como analisado por
Piaget: o jogo sensório-motor, o jogo simbólico e o jogo baseado em regras. O papel do educador é, então, estimular e guiar este desenvolvimento espontâneo, e alguns equipamentos podem ajudá-lo. Por volta de nove ou dez anos de idade, o computador é uma ferramenta conveniente para a composição (Tradução de Tamya Moreira. ORFEU, v.2, n.2, dez. de 2017).

François Delalande É Compositor, educador e pesquisador francês, que nasceu em Paris em 1941. Coordena as pesquisas em Ciências da Música no Groupe de Recherches Musicales de lÍNA e estuda, especialmente, as condutas de escuta e de produção, principalmente na criança. É um dos principais teóricos acerca da Eletroacústica, de Análise e de Pedagogia Musical.

Oficina: 15 de junho de 2019.

Horário: 8h às 13h.
Local: Espaço Guiomar Novaes. R. Teotônio Regadas, 2-26 – Centro.
Entrada franca (necessária a inscrição prévia): Só será permitida a entrada com
confirmação da inscrição feita por e-mail (didier.adriana@gmail.com). Os participantes
receberão o certificado por e-mail.

Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838
 

Concerto para crianças: 16 de junho às 11h, (domingo)

Horário: 11h
Local: Sala Cecilia Meireles. Largo da Lapa, 47.

Ingressos: vendidos na bilheteria da Sala Cecilia Meireles ou pelo site: http://salaceciliameireles.rj.gov.br/

No nosso país, a Argentina, a palavra Musiquero, define o músico que toca em qualquer lugar a qualquer hora, em estreita relação com o público. Essa ideia de proximidade e de música compartilhada é a que define Los Musiqueros, por 32 anos. Teresa Usandivaras, Julio Calvo, Pablo Spiller, cantam e convidam crianças e adultos para cantar. Música daqui, de lá, de todos os lugares. América, África e Europa em um abraço musical em que tudo soa. Mesas, panelas, tubos e luvas de cozinha junto a violões, flautas e tambores. Do deserto de Kalahari aos Andes, das canções tradicionais da Europa até as que os meninos e meninas inventam do nosso país. Los Musiqueros, um convite para cantar, dançar e ouvir música para crianças e adultos de todas as idades. O curso convida você a experimentar o fazer musical compartilhado com o canto, a palavra, as explorações sonoras, a performance instrumental e o movimento favorecendo a participação, a solidariedade, a cooperação, a alteridade, a aceitação, a autoconfiança, o reconhecimento, o pensamento criativo, o espírito de diálogo, a escuta, a liberdade e o consenso. Tomando como ponto de partida a linguagem da experiência que surge do encontro com os sons e as canções, propomos um tempo de buscas e começos onde o jogo, o espanto, a emoção, o disfrute e a reflexão se fazem presentes.

Los Musiqueros:

Prêmio Gardel- Melhor álbum de música infantil 2011; Prêmio ACE - Melhor álbum de música infantil 1996; Nominado Prêmios Gardel - Melhor CD música infantil 2006; Prêmio ATINA - Melhor música de espetáculo infantil 2010. 
E-mail: produccion@losmusiqueros.com.ar; info@losmusiqueros.com.ar

Site: http://www.losmusiqueros.com.ar/
Twitter @los_musiqueros.

Facebook: Los Musiqueros

Data: 29 de junho de 2019.

Horário: 9h às 17h

Carga horária: 8h.
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.
Investimento: R$150,00/R$100,00 alunos CBM e Associados Forum Latinoamericano
de Educación Musical FLADEM

www.fladembrasil.com.br
Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Canal no youtube - Maestrina:
https://www.google.com/url?q=https://www.youtube.com/watch?v%3DLsJpala5kPg&source=gmail&ust
=1545575245723000&usg=AFQjCNG_tbNiWjXJykgaP84VjJoX_EfS2g
Lançamento Livro “Tá no Batuque”- RJ:
https://www.google.com/url?q=https://www.youtube.com/watch?v%3DC50Tmmd6PNI%26frags%3Dpl
%252Cwn&source=gmail&ust=1545575245723000&usg=AFQjCNG0EK8PeDOh3-wvwC47Uz7zazB_qA
Currículo Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4710576E6

https://www.facebook.com/ThaisBezerra.Maestrina/ @thaisbezerra.maestrina

Uma viagem musical através de jogos musicais e do diversificado universo da percussão brasileira, da cultura popular e do carnaval carioca. Para tal, foram escolhidos alguns gêneros musicais, tais como as marchinhas de carnaval, samba, ijexás, etc. A proposta de abordagem musical é prática e estruturada em três etapas: vivência rítmica através de jogos musicais, divisão em naipes e aplicação no corpo e nos instrumentos e por fim, tocar os arranjos didáticos propostos aplicados às músicas do repertório.

Thaís Bezerra é mestra em Ensino de Práticas Musicais –UNIRIO. Especialista em Educação Musical e Licenciada pelo CBM-CEU. Concluiu, em 2014, o programa de certificação ORFF Schulwerk pelo The San Francisco ORFF Course – Califórnia, EUA. É maestrina da bateria do Multibloco, do Bloco da Terreirada Cearense, do Bloco da Orquestra Rítmica e da Banda da Escola Municipal João Barbalho. Também toca na banda Damas de Ferro (brass band que, em 2017, se apresentou no Circuito SESC de Artes em São Paulo, no Festival Cubadisco, em Havana, e no Honk Festival, em Nova Iorque, Somerville, Providence). Ao longo de seus 20 anos de carreira musical, atuou em diversos países. Na Finlândia, ministrou curso para educadores no XVIII World Village 2016. Em 2015 e 2016, atuou no Cultural Performance Community and Company –SambaFunk, na Califórnia, visando a condução e ao desenvolvimento de arranjos para bateria e preparo das músicas para o desfile e shows no Carnaval de San Francisco e no Oakland Carnival. Tocou na apresentação cultural da cerimônia artística de handover da tocha olímpica, em 2016, na Grécia. Com a Companhia Folclórica do Rio (UFRJ), tocou no Festival Colores del Mundo, em Jalisco, no México, e no 18º International Folklore Festival “World Under Kyczera”, na Polônia e na Eslováquia. Em 2013, apresentou seu trabalho Musicalização através dos Instrumentos de Percussão no Seminário do Fórum Latinoamericano de Educação Musical (FLADEM), ocorrido em Montevideo, Uruguai.

Dias 7 a 11 de Janeiro de 2019

Horário: 9h às 17h.    Carga horária total: 40h.

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.

Investimento: R$ 500,00/R$ 450,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

A oficina tem como objetivo trazer propostas para o desenvolvimento da escuta ativa /Atividades lúdicas, rítmicas e melódicas /Estratégias alternativas para improvisação aplicada ao didático/Técnicas de composição em grupo/Metodologias para a criação e o desenvolvimento de projetos musicais coletivos na escola. Reflexão, análise, pesquisa e prática, sobre novas tecnologias populares e portáteis relacionadas a produção sonora / musical (tablet, telefones celulares, etc.)

Eric Giles Realizou cursos e seminários na Argentina e no exterior (Silvia Malbrán, Susana Espinoza, Carmelo Saitta, Richard Bona, Bobby Mc Ferrin, Murray Schafer, Naná Vasconcelos, Egberto Gismonti, etc.), no Conservatório Municipal de Falla e atuando em shows, gravações e educação musical com Liliana Herrero, Chango Farías Gomez, Mariana Cincunegui, Piolhos e Piojitos, Magdalena Fleitas, Loss Musiqueros, Fito Páez, Miguel Abuelo, Kubero Diaz, Miss Bolívia, Ernesto Snajer, Hermeto Pascoal, Dino Saluzzi, etc. Tem realizado seminários, cursos e oficinas das especialidades mencionadas acima como professor na Argentina, Chile, Brasil, Uruguai, Alemanha e Suíça, individualmente ou como membro do Momusi (Movimento de música para crianças) e FLADEM (Fórum Latino-americano de Educação Musical). .

Dias 14 a 18 de Janeiro de 2019

Horário: 9h às 17h        Carga horária total: 40 horas. 

Local: Conservatório Brasileiro de Música Centro Universitário. Av. Graça Aranha, 57/12º andar. Metro Cinelândia. RJ.                              

Coordenação: Adriana Rodrigues

Investimento: R$ 500,00 / R$ 450,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-838 

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Tradução simultânea Profª Esp.Beth Dau.

Este e um curso interativo que explora a educação sonora de R. Murray Schafer. Os participantes dessa oficina vão vivenciar a escuta, improvisação e composição de jogos e exercícios do Schafer, que exploram e interagem com os sons de nossas vidas cotidianas: aqueles que ouvimos, imaginamos, lembramos e criamos. Os educadores, musicistas e teóricos que estiverem participando do curso também vão ser convidados a discutir, apresentar e nos mostrar como poderiam adaptar e revisar a 'Educação sonora' de Schafer na sua pratica de ensino.

Doug Friesen  é educador musical, musicista e mora em Toronto. Doug já liderou oficinas de paisagens sonoras, escuta, improvisação e criatividade no Canada, México e no Brasil. Foi aluno de R. Murray Schafer, e nos últimos 10 anos trabalhou lado-lado com o compositor e educador. Douglas é professor de música e atua como consultor de currículo para o Conselho Escolar do Distrito de Toronto (Toronto District School Board). Está atualmente cursando o Doutorado, e dá aulas para professores no Ontario Institute for Studies in Education.

Na filosofia Ubuntu, estamos todos ligados uns aos outros por laços invisíveis aos olhos. Conquistamos e expandimos a nossa individualidade na medida em que a compartilhamos com o mundo. Essa é uma proposta de vivências musicais variadas e conectadas entre si, como numa colcha de retalhos onde texturas, matizes e formas ricas e únicas em suas essências se enriquecem mutuamente. Partindo da pesquisa da vasta e inesgotável fonte de modos de ver/ sentir/ viver a música chegamos a um denominador comum sobre o qual cada uma das oficinas se fundamenta, e esse é o despertar do corpo como o primeiro instrumento do qual dispomos para materializarmos a música tornando-a visível. 

Sula Kossatz: Formada em Piano pelo Conservatório Brasileiro de Música (Rio de Janeiro), com aperfeiçoamento em Cravo pela Academia de Música Antiga (Amsterdam / Holanda), licenciada em Música e Especialista em Educação Musical pelo Conservatório Brasileiro de Música Centro Universitário. Depois de 20 anos atuando como cravista em grupos e orquestras por todo o Brasil e no exterior, voltou-se para a área pedagógica. Com o CD "Deu Bicho na Casa" Sula ganhou o Prêmio da Música Brasileira 2018 de Melhor Álbum Infantil. http://www.radioesfera.com.br/sula.html

Dias 21 a 24 de Janeiro de 2019

Horário: 9h às 17h    Carga horária total:  32 horas.

Local: Conservatório Brasileiro de Música Centro Universitário. Av. Graça Aranha, 57/12º andar. Metro Cinelândia. RJ.                                  

Coordenação: Adriana Rodrigues

Investimento: R$ 400,00 / R$ 350,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Dia 28 a 31 de janeiro de 2019

Horário: 9h às 17h      Carga horária total:  32 horas. 

Local: Conservatório Brasileiro de Música Centro Universitário. Av. Graça Aranha, 57/12º andar. Metro Cinelândia. RJ.                                 

Coordenação: Adriana Rodrigues

Investimento: R$ 400,00 / R$ 350,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

A oficina abordará o jogo e o som como propiciadores da experiência cênico musical. Conteúdo:

- A constituição da situação lúdica: conceitos; O jogo tradicional; Experiências sonoras; Construção de objetos sonoros; Movimento e som - práticas;Elementos cênicos musicais; Elaboração de cenas

Eugênio Tadeu Pereira É professor no Curso de Graduação em Teatro da Escola de Belas Artes-UFMG e do PROF-Artes-EBA-UFMG;  integrante do Grupo Serelepe EBA-UFMG; membro do Comitê Permanente do Movimento da Canção Infantil Latino-americana e Caribenha - MOCILyC e da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas - ABRACE; coordena o projeto de extensão “Serelepe: brinquedorias sonoras e cênicas” –da EBA-UFMG; é mestre em Educação - FaE/UFMG, doutor em Artes Cênicas - ECA/USP e pós-doutorando na Universidade do Minho – Portugal. Foi co-fundador do Duo Rodapião; professor de Música na Escola Fundamental do Centro Pedagógico da UFMG onde idealizou e coordenou o projeto Pandalelê – Laboratório de Brincadeiras. http://programaserelepe.blogspot.com/

© 2018 por Rebeca Vazquez