“’Da palavra ao som’ parte da sonoridade dos primeiros balbucios, sílabas e palavras para a construção do jogo musical. Se utiliza de quadras, parlendas, poemas e frases populares na elaboração de brincadeiras musicais, ritmos e canções. Apresenta aos educadores dinâmicas a partir do repertório musical folclórico do Brasil e do mundo, além de abordar músicas compostas especialmente para o desenvolvimento musical de crianças de variadas faixas etárias. Os participantes serão convidados a elaborar estratégias brincantes para a sensibilização musical das crianças a partir de atividades de criação e composição coletivas” (Thiago Di Luca).

Horário: 9h às 17h.                               

Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 998043838

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: Antecipado R$110/150, no dia R$120/160 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br); (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Informações: (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Thiago Di Luca. Compositor e educador musical, oriundo de Porto Alegre, RS. Atua a mais de 10 anos como educador musical, tendo trabalhado com crianças e jovens com idades entre 0 até 17 anos. Atuou como educador em diversas escolas e instituições, como o SESI e o Colégio Anchieta (Porto Alegre, RS). Tem seu trabalho voltado para a pesquisa de manifestações musicais populares do Brasil e de diversas regiões do mundo. Possui certificação internacional na abordagem ORFF-SCHULWERK pelo San Francisco ORFF Institute, (CA, EUA, 2017), tendo estudado com professores de renome mundial como Doug Goodkin (EUA), Sofia Lopez Ibor (Espanha), Polo Vallejo (Espanha), James Harding (EUA), Christa Coogan (EUA), Kofi Gbolonio (GH), Fernando Barba (Brasil) e Estevão Marques  (Brasil). Ministrou oficinas para crianças e workshops para professores em festivais de prestígio como o Festival Internacional de Música de Vale Veneto (UFSM, 2019) e em diversas cidades do Brasil, como São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Vitória, Campo Grande, Curitiba, Fortaleza, Maceió, Campinas e Caxias do Sul. Atuou também no exterior, em cidades como Bogotá (COL) e Veneza (ITA). Possui seu trabalho de produção musical voltado para as crianças, com o espetáculo infantil Cantos de Linho, de Lã, indicado ao prêmio Açorianos de teatro, categoria Espetáculo Revelação 2015, baseado na obra do premiado escritor gaúcho Dilan Camargo (indicado ao prêmio Jabuti 2015). Recebeu o prêmio Açorianos de Dança 2015, categoria Melhor Trilha Sonora, com o espetáculo de dança “Normótico”, em parceria como grupo My House, de Porto Alegre.

Nada mais estimulante do que produzirmos um instrumento musical. Há inúmeras possibilidades de técnicas, vídeos e livros, matérias primas gratuitas ou de baixo custo, ambientes apropriados e métodos, desde o artesanato até a impressão 3-D. O objetivo desta oficina "mão na massa" é o de proporcionar uma abordagem sistemática aos instrumentos e propor estratégias para a exploração sonora e emprego na educação musical. A cultura Maker, vista como um "movimento educacional" por alguns, é inspiração desta vivência que percorre os diversos aspectos da produção musical e integra as disciplinas S.T.E.M. (das iniciais em inglês de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) com as matérias artísticas e humanas. Cada participante desenvolverá uma linha de trabalho com o instrumento que vier a elaborar ou aperfeiçoar. Terminaremos com um recital empregando os instrumentos. Ementa: Classificação dos instrumentos - convencionais e étnicos, princípios físicos e sistemas organológicos; Instrumentos alternativos: conceitos, terminologia; Técnicas de construção: luteria, artesanato, impressão 3-D e outras; Educação Maker e Educação 4.0: conceitos, artesanato, bricolage, hands-on, do-it-yourself; Técnicas e atitudes de exploração sonoras, métodos instrumentais, técnicas estendidas; Criação musical em grupo; Execução musical em grupo

Horário: 9h às 17h.                                        

Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 998043838

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: Antecipado R$150,00/R$110,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br). No dia R$160/R$120.

Informações: (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Leonardo Fuks é professor de acústica musical e de fisiologia da voz da Escola de Música da UFRJ, combinando uma formação em engenharia acústica e mecânica com uma carreira de oboísta e multi-instrumentista em música contemporânea. Doutor em acústica musical pelo Instituto Real de Tecnologia da Suécia, pesquisou instrumentos de sopro e voz humana, sob orientação de Johan Sundberg. Criou a Cyclophonica Orquestra de Bicicletas, um grupo profissional que utiliza instrumentos alternativos e adaptados. Realizou mostras interativas de música e ciência e produz instrumentos para experimentos de acústica, para fins profissionais e para seus grupos musicais. Suas aulas e oficinas de construção de instrumentos já foram realizadas no Brasil, Japão, Estados Unidos, México, Dinamarca, Suíça, Alemanha, Suécia e Itália.

Kiko Menezes é percussionista, pesquisador sonoro e designer de experiências musicais. Criou a empresa SONORI em 2009, realizando parques sonoros ecológicos desmontáveis, oficinas e aulas, workshops, exposições e consultorias, tendo incentivado o despertar da musicalidade em uma abordagem de educação mão na massa a milhares de crianças e adultos em 12 cidades no estado do RJ em parcerias estratégias na área da educação, cultura, social, empresarial e da saúde. Conferencista do TEDx UFF, ministrou workshops sobre música e criatividade na Espanha e realizou uma viagem de estudos e vivências na Índia. Possui formação básica na Escola de Música Villa Lobos, instrução em Yoga e Meditação, graduação em propaganda e marketing e é pós-graduando da Especialização em Educação Musical do CBM/FLADEM/Fladem Brasil.

Horário: 9h às 17h.                                        

Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 998043838

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: Antecipado R$150,00/R$110,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br). No dia R$160/R$120.

Informações: (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Beatriz Alessio - Pianista, doutora em Música, premiada em numerosos concursos, desenvolve intensa atividade de concertos em diversos países de América Latina e Europa. Professora de piano na UFBA onde, junto a Miguel Angel Scebba, ministra um curso especial de iniciação ao piano para crianças a partir de 6-7 anos, aplicando a escola Nicolaev.

Miguel Angel Scebba – Pianista e compositor têm atuado na Europa, América e Ásia. Professor titular da Universidade Nacional de San Juan, Argentina e professor visitante e artista em residência em numerosas instituições de Europa e EUA. Junto a Beatriz Alessio ministra um curso especial de iniciação ao piano para crianças a partir de 6-7 anos.

Uma tentativa de demonstração das particularidades da aplicação do chamado método Nikolaev e dos desdobramentos pedagógicos e artísticos desta abordagem particular. Desenvolvimento de planos e estratégias de trabalho contemplando a diversidade cultural, social e distintas faixas etárias. Particularidades do trabalho com conceitos como entonação, caráter e articulação desde as primeiras lições. -Outras denominações do livro; -Breve síntese da origem da assim chamada Escola Russa e o contexto existente nas tendências pedagógicas prevalecentes no fim do século XIX; Theodor Leschetizky e Anton Rubinstein: os fundadores da escola e o conceito de sonoridade; -A assim chamada "cultura do som" e a emocionalidade do romantismo pianístico tardio como origem dos princípios pedagógicos; -Breves notas sobre os autores; -Análise das orientações pedagógicas expostas nos textos preliminares do livro. A fórmula OUVIR-VER-TOCAR em lugar de “VER-TOCAR-OUVIR” ou “TOCAR-VER-OUVIR” -Importância da representação imaginária da melodia (imaginação do som); - Importância da aquisição dos elementos de leitura musical; O trabalho emocional; Importância do conteúdo emocional de cada peça; - Dupla importância da introdução progressiva dos diferentes tipos de articulação, como meio expressivos ao serviço da exteriorização de emoções estimulada pela música da peça; - A aquisição progressiva dos recursos físicos do toque como ferramentas da linguagem. - Importância do trabalho, na primeira parte do livro, de sequências melódicas contínuas que passam de uma mão a outra. -Educação do ouvido melódico. Conectando sons: educação interválica melódica.

A oficina apresenta, na prática, os fundamentos de uma educação musical abrangente, a partir das propostas do educador inglês Keith Swanwick: a integração de Criação, Apreciação e Performance e as transformações metafóricas de materiais sonoros em gestos expressivos, destes em estruturas culminando numa relação simbólica e sistemática com a música.

Marcus Vinícius Medeiros Pereira– Possui graduação em Música - Bacharelado em Piano, mestrado em Música e doutorado em Educação. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora, onde dirige o Centro Cultural Pró-Música. Atua como professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação - UFJF; e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação Música em Contexto da UnB. É presidente da Associação Brasileira de Educação Musical. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação musical, atuando principalmente nos seguintes temas: currículo, sociologia da educação musical, e educação musical escolar. Na área da musicologia e da performance musical, seus interesses de investigação são a canção brasileira, e estudos relacionados ao piano.

Horário: 9h às 17h.                              

Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 998043838

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ.

Investimento: Antecipado R$150,00/R$110,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br). No dia R$160/R$120.

Informações: (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Horário: 9h às 17h.                              

Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 998043838

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ.

Investimento: Antecipado R$150,00/R$110,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br). No dia R$160/R$120.

Informações: (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Considerar a música uma linguagem não é consensual entre os pesquisadores. No entanto, argumenta-se aqui que a compreensão da linguagem musical a partir dos estudos da linguagem verbal empreendidas por teóricos ligados à Fenomenologia Existencial pode ser um caminho promissor. Neste curso, pretende-se refletir em conjunto com os participantes a respeito das implicações desse posicionamento e, a partir dessa compreensão, trazê-la praticamente para o corpo, os sentidos, as sensações, a experiência vivida, a reflexão, a criação. Alguns importantes educadores musicais serão visitados, sempre que suas propostas corroborarem essa ideia de linguagem.

Marisa Trench de Oliveira Fonterrada – é educadora musical, livre docente em técnicas de musicalização pelo Instituto de Artes da UNESP, doutora em Antropologia e Mestre em Psicologia da Educação, ambos os títulos pela PUCSP, bacharel em instrumento – piano pelo Instituto Musical São Paulo. Autora de livros e artigos em educação musical, responsável pela divulgação no País das ideias de autores como Boris Porena (Itália), Chefa Alonso (Espanha) e Murray Schafer (Canadá). É tradutora de obras de Murray Schafer para o português.

Curso voltado para educadores que desejam utilizar a música e o movimento como ferramentas significativas na formação de sujeitos mais saudáveis e sensíveis em suas salas de aula. Nele, estarão contidos unidades didáticas, atividades e arranjos voltados principalmente para a educação infantil e para o ensino fundamental. São elementos, em sua maioria, recolhidos e adaptados da cultura popular brasileira, e do material coletado pela especialista durante sua participação no programa de estágio em Orff Schulwerk, residente na escola San Francisco School, na Califórnia. O objetivo do curso é, através de aulas lúdicas e divertidas, promover experiências dinâmicas envolvendo o canto, a prática instrumental, brincadeiras e muita criatividade, que possam enriquecer a vivência musical de cada participante, dentro e fora de suas salas de aula.

Horário: 9h às 17h                           

Coordenação: Adriana Rodrigues (21) 998043838

Local: Conservatório Brasileiro de Música Centro Universitário. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ.

Investimento: Antecipado R$150,00/R$110,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br). No dia R$160/R$120

Informações: poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Pati Oliveira encantou-se pela cultura popular brasileira e pela percussão no ano de 2001, através das oficinas do grupo Rio Maracatu, do qual tornou-se cantora e percussionista em 2003. Desde então passou a pesquisar amplamente ritmos, danças e folguedos brasileiros, como o Maracatu, o Coco, a Ciranda e o Samba. O desejo de levar a cultura popular para dentro das salas de aula a conduziu ao Conservatório Brasileiro de Música, onde cursou a Licenciatura e a Pós-Graduação em Educação Musical sob a coordenação de Adriana Rodrigues. Concluiu em 2014 o programa de certificação em Orff, através do San Francisco Orff Course, quando foi convidada pelo seu Diretor Doug Goodkin a participar do programa de estágio em Orff, na escola SF School em San Francisco, onde permaneceu durante seis meses observando mestres, ensinando e colocando em prática suas ideias. Em maio de 2016 foi convidada como professora residente para dar aula de cultura popular brasileira na Escola Britânica Saint Andrews Samakee em Bangkok (Tailândia). Ministrou em julho do mesmo ano o curso para educadores no XVIII World Village 2016 realizado pela JaSeSoi, Orff-Schulwerk Association of Finland. É professora de música da British School (educação infantil e Fundamental I) desde 2015 e é professora da Especialização em Educação Musical CBM/FLADEM/Fladem Brasil desde 2015.

Este curso tem como proposta oferecer um panorama de estilos musicais eletrônicos afro-americanos, a música de pista, visando tanto uma ampliação de possibilidades de repertório musical escolares quanto uma reflexão crítica sobre aspectos sociológicos da música. A ideia é estreitar laços com estilos musicais desenvolvidos a partir do uso da tecnologia e que povoam muitas vezes a imaginação dos jovens estudantes, por ser uma música feita para dançar, a música de pista. Aspectos sociológicos também serão abordados aqui, buscando ampliar a conscientização das diversas influências que muitas vezes direcionam o gosto pessoal e que podem suscitar preconceitos que dificultariam um livre trânsito de ideias nos processos pedagógicos. Propostas práticas para uso em sala de aula também serão desenvolvidas no decorrer do curso.

Horário: 9h às 17h.                               

Coordenação: Adriana Rodrigues (021) 998043838

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: Antecipado R$110/150, no dia R$120/160 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br); (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Monica de Oliveira-professora de música na TBS (The British School of Rio de Janeiro). Mestre em Educação Musical pela UniRio. Saxofonista e flautista atuante da cena carioca, é uma das fundadoras da pioneira orquestra de afrobeat carioca chamada Abayomy, com a qual possui 2 cds gravados, que incluem alguns dos seus arranjos. O 3º cd contará com a participação do lendário saxofonista nigeriano Orlando Julius, com o qual a orquestra realizou um show em 2019, além de duas músicas de sua autoria, e de seus arranjos. É integrante fundadora da orquestra feminina Orquestra Lunar, com a qual gravou o cd que incluí dois dos seus arranjos e uma composição sua. Já tocou com diversos artistas como Blitz, Jorge Vercilo, Da Gama, Gabriel Moura, Criolo, Metá Metá, Letieres Leite, Bia Ferreira, Doralice, entre outros. Possui artigos publicados em revistas nacionais e apresentou em 2019 o artigo “Música de Qualidade” na Unicamp, feito a partir do seu curta “Música de Qualidade: uma conversa entre amigos”, elaborado para trazer uma reflexão sobre os muitos significados que o conceito sobre o que seria a qualidade musical parece possuir.

A Pedagogia Dalcroze e sua Filosofia: A importância do Método Dalcroze na educação do ser humano; O movimento corporal em relação à música e ao espaço; Correlação direta entre Corpo, Ritmo, Movimento e Criatividade

Os Elementos da Rítmica Dalcroze: Tempo, Rítmica, Métrica e Coordenação Motora; Relação entre os esquemas: Temporais, Espaciais e Corporais; Imaginação e Criatividade

Correlação entre a Linguagem Musical e a Rítmica Dalcroze: O Movimento Sonoro; As Escalas e Ordenações Sonoras; Introdução à Metodologia da Escrita Musical; Improvisação vocal e instrumental

Prática Pedagógica: Aplicação de Estratégias Pedagógicas em diferentes níveis de ensino musical através da elaboração de exercícios e planos de atividades

 (Iramar Rodrigues).

Horário: 9h às 17h. Coordenação: Adriana Rodrigues
Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ.
Investimento: R$550,00/R$500,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)
Informações: Adriana (021) 998043838 (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Iramar Rodrigues é professor do Instituto Dalcroze - Genebra/Suíça, nascido no Brasil, cursou Música – Piano, no Conservatório Musical de Uberlândia e na Faculdade de Artes da Universidade de Uberlândia, onde foi professor durante alguns anos. Seguiu sua formação no Instituto Interamericano de Educação da Universidade do Chile onde se tornou especialista em Educação Musical. Foi professor de Didática e Pedagogia da Música no Instituto de Artes na Universidade Federal de Goiás. Atualmente é professor de Rítmica, Solfejo, Improvisação e Pedagogia do Solfejo, cargos que ocupa desde 1975, por concurso no Instituto Dalcroze, Genebra – Suíça. É também professor de Iniciação Musical Método Willems no Conservatório Popular de Música de Genebra e Pedagogia da Rítmica na escola de formação de professores de educação pré-primária. Desde 1974, quando obteve a Licenciatura do Método Dalcroze no Instituto Dalcroze de Genebra, tem participado de vários congressos de Rítmica e Educação Musical e ministrado cursos em vários países, como França, Suíça, Espanha, Brasil, Argentina, Uruguai, México, República Dominicana, Tailândia como representante do Método Dalcroze.

Horário: 9h às 17h.                                                        

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: R$550,00/R$500,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana (021) 998043838

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Feita pela e para a criança, a música tradicional da infância a embala desde o nascimento e percorre todos os seus passos até que chegue à idade adulta. Carrega os ritmos e molejos da música brasileira a beleza da nossa poesia popular, os gestos, movimentos e desafios imprescindíveis ao desenvolvimento da criança e a nossa diversidade cultural. Pautado nas pesquisas de campo realizadas por Lucilene Silva desde 1998, a proposta deste curso é a prática de um diversificado repertório de brincadeiras tradicionais, o estudo do seu material sonoro e o compartilhamento de uma experiência em Educação Musical baseada neste repertório. Conteúdos:

•          Cultura infantil: definição, dimensões, pesquisa e documentação;

•          Repertório: classificação, características e linguagem de movimentos;

•          Música tradicional da infância: características, gêneros, estilos, influências;

•          Gêneros musicais e ritmos brasileiros na música tradicional da infância;

•          Música tradicional da infância na Educação Musical.

Lucilene Silva é mestre e doutoranda em Música na UNICAMP, com parte da Pesquisa de Doutorado realizada no Departamento de Etnomusicologia da Universidade Nova de Lisboa, Desenvolve desde 1998 pesquisa de campo e documentação de cultura infantil e música tradicional da infância, tendo percorrido cerca de 160 municípios do Brasil e outros países da América Latina. Coordena o Centro de Estudos e Irradiação da Cultura Infantil e o Centro de Formação de Educadores da Oca Escola Cultural. Representa em São Paulo a Casa das 5 Pedrinhas fundada pela pesquisadora Lydia Hortélio. Integra a equipe de educadores da Casa Redonda Centro de Estudos e do Instituto Brincante. Entre outras publicações é autora do livro Eu vi as três meninas, música tradicional da infância na Aldeia de Carapicuíba, que em 2015 recebeu o prêmio IPHAN de Salvaguarda do Patrimônio Imaterial. Integra a Cia Cabelo de Maria com participação nos CDs Cantos de Trabalho volumes I e II, Baianás e São João do Carneirinho. Participou do filme Tarja Branca, uma revolução que faltava produzido pela Maria Farinha Filmes e do filme Mitã, uma poética da infância brasileira, produzido pelo Espaço Imaginário.

Quando penso para entender, posso imaginar como soa e como se toca, quando toco, entendo como foi feito e imagino como soa, se escuto entendo sua estrutura e posso imaginar como se toca. O desenvolvimento da criatividade faz parte tanto da formação instrumental como o referente a linguagem. Poder improvisar e compor têm uma função primordial na apropriação tanto do instrumento como da linguagem. Experiências que nos mudam, nos transformam. Uma das problemáticas mais importantes que afeta (sobre tudo) a educação musical é a dissociação que existe entre os conhecimentos adquiridos e a ação de tocar. Se sabe por um lado e se toca por outro. Cada aspecto do musical é trabalhado por separado e assim se mantém, em canais diferentes e paralelos. A experiência nos mostra que, salvo exceções, o que nasce dissociado assim permanece. O curso nos aproxima a uma metodologia em que a construção que realiza sobre a voz ou instrumento que se inicia (seja criança, adolescente ou adulto), é a ação resultante de uma compreensão integral onde confluem o intelectual e o sensório-motriz. Serão abordados os seguintes temas:

  • Metodologia instrumental em geral (para qualquer instrumento);

  • Metodologia de ensino da linguagem;

  • Integração da compreensão da linguagem na execução;

  • Integração do conhecimento conceitual e a escuta;

  • Importância e efeito dos vínculos no ensino.

Data: 13 a 17 de janeiro de 2019.  Horário: 9h às 17h.  Carga horária total: 40 horas.

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia. Coordenação: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Investimento: R$ 550,00 / R$ 500,00 Alunos do CBM/ Associados do FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Malena Hermann fez seus estudos básicos e superiores de piano com Violeta de Gainza com quem também estudou pedagogia e percepção auditiva de 1965 até 1982 de forma ininterrupta. Aluna de Gerda Alexander (1971 a 1974) no curso A eutonia e sua aplicação na técnica pianística. Fez curso de Psicanálise na APDEBA (Asociación Psicoanalítica de Buenos Aires). Professora da Escuela de Música Popular de Avellaneda nas disciplinas: Piano Harmônico; Prática docente (didática e prática docente instrumental e linguagem musical). Professora particular de piano para crianças, adolescentes e adultos. Trabalha com crianças com dificuldades motoras e / ou de desenvolvimento. É associada ao FLADEM desde 1996.

Ele bate as palmas, esfrega uma mão na outra, estala os dedos, bate os pés, arrasta a sola dos sapatos, percute peito, barriga e traseiro, explora sons com as bochechas: Keith Terry usa toda e qualquer superfície para explorar todas as suas possibilidades, criando sua música a partir de uma surpreendente variedade de registros sonoros com brilhantes variações rítmicas. Pode-se definir Keith Terry como um bailarino percussionista, cujo trabalho engloba uma gama de disciplinas afins, como música, dança, teatro, performance, dentro de uma visão artística própria criando uma linguagem que transcende padronizações. Keith se define como músico corporal, que a partir do uso do mais antigo dos instrumentos- o próprio corpo - cria uma base para explorar, aliar, mesclar possibilidades rítmicas, percussivas e de movimentos, tradicionais e contemporâneas

Encontro: 21 a 24 de Janeiro.  Horário: 14h às 19h                                                           Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ Metro Cinelândia.

Tradução: Elizabeth Dau

InvestimentoR$350,00/R$300,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana Rodrigues (21) 99804-3838 poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

KEITH TERRY percussionista / dançarino / educador cuja visão artística transita na linha entre música e dança há mais de quatro décadas. Como solista, já se apresentou no Lincoln Center, Bumbershoot, All Things Considered e Morning Edition da NPR, The World, do PRI, Vienna International Dance Festival, e o Paradiso van Slag do World Drum Festival, em Amsterdã. Como produtor, fez 5 CDs e 4 DVDs para a Crosspulse Media. De 1998 a 2005, Keith fez parte do corpo docente do Departamento de Artes e Culturas Mundiais da UCLA, onde projetou e ministrou vários cursos sobre a relação entre música e dança; escuta profunda; sincronicidade, tempo e tempo; e comunicação intercultural nas artes. Em 2006, concebeu e dirigiu o primeiro International Body Music Performance Project para o Instituto Orff em Salzburg. Keith faz turnê anualmente nas Américas, Ásia e Europa, onde suas apresentações de música corporal, oficinas, residências e comissões coreográficas são conhecidas entre artistas profissionais e educadores. Keith Terry é Diretor Fundador da Crosspulse, uma organização de artes com 32 anos, com sede em Oakland, Califórnia, dedicada à música e dança interculturais baseadas no ritmo. Keith é também o diretor fundador / artístico do projeto Crosspulse: International Body Music Festival (IBMF), festival anual de 6 dias que explora a linguagem da música corporal de cultura para cultura. Desde 2008, o IBMF foi produzido em San Francisco / Oakland, EUA; São Paulo/ Brasil; Istambul/ Turquia; Terni/ Itália; Bali/ Indonésia; Paris/ França; Atenas/ Grécia; Quebec/ Canadá;Gana/África.

http://www.crosspulse.com/

http//www.internationalbodymusicfestival.com/

Apresentação do universo cultural brasileiro produzido predominantemente pela matriz africana e seus descendentes, principalmente por intermédio da dança, do ritmo, permeados pela religiosidade. Em cumprimento à lei 10.639/03 (agora modificada pela lei 11.645/08), trazer à tona a discussão acadêmica sobre a importância do conhecimento e da história contada pelas manifestações populares no campo do gesto e da musicalidade – artes corporais. Vivenciar as manifestações culturais e experimentar o prazer de aprender e trocar informações, envolvidos pelo ambiente lúdico. A dança, a percussão, o canto; (ketu e olubajé), Jongo da Serrinha, Leão Coroado, Lia de Itamaracá, Coco Raízes de Arcoverde, Lucio Sanfilippo); Vivência da dança – o jongo, o coco, a ciranda, o maracatu, as danças dos orixás (Oxum, Oxossi...) – representação mítica; Vivência da percussão – Jongo, ijexá, Agueré, Capoeira.

Encontro: 21 a 24 de Janeiro.  Horário: 8h às 13h.                                                       

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha,  57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: R$350,00/R$300,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana (021) 998043838 (poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com)

Lucio Sanfilippo é cantor, compositor, professor de Educação Física, jornalista, mestre e doutorando em Educação. Tem 4 cds gravados – Cordel das Fitas, Canções de Amor ao Leo, A Flor do Velho Engenho e Do Reino da Pedra Miúda. Em 1997, em contato com as aulas de Educação Física, Folclore e Cultura Popular do Instituto de Educação Física e Desportos da UERJ com a Prof.ª Drª Zezé do Folclore, começou a entender que suas carreiras artística e acadêmica eram atravessadas pelas culturas populares transbordadas das religiosidades afro-brasileiras a que desde criança foi integrado. Sua monografia em Comunicação foi sobre Aracy de Almeida, uma das maiores cantoras brasileiras; em Educação Física, sobre o Jongo; dissertação de Mestrado sobre o Agueré de Oxóssi e a tese de Doutoramento em andamento, sobre a Festa, seus transbordamentos e potencialidades na escola, na rua e nos candomblé. No final dos anos 2000, foi convidado a montar uma ementa sobre Musicalidade e Expressão Corporal para a pós graduação África-Brasil: Laços e Diferenças, de Teresa Salgado na Atlântica Educacional, conveniada à UCP de Petrópolis. Daí, para a Argentina, Haiti e projeto de formação de professores. Sanfilippo traz para as trocas neste curso suas experiências com as oficinas de dança do final dos anos 90 que, 20 anos depois, enriquecem-se ainda mais das vivências acadêmicas, populares e especificamente religiosas.

Horário: 9h às 17h.                                                 

Coordenação: Adriana Rodrigues

Local: Conservatório Brasileiro de Música. Av. Graça Aranha, 57/12º. RJ. Metro Cinelândia.

Investimento: R$550,00/R$500,00 Alunos CBM e Associados FLADEM (fladembrasil.com.br)

Descontos para “pacote verão” e/ou pagamentos antecipados.

Informações: Adriana (021) 998043838

poseducacaomusicalfladembrasil@gmail.com

Contextualização. O litoral argentino e a sua música. Contexto e desenvolvimento histórico, social e político. Mestiçagem de três culturas (originaria, africana e europeia). Importância da presença africana na cultura da região. Relação música/paisagem. A transmissão oral como fonte de aprendizagem. A escrita musical.

Matrizes e características musicais. Ritmo. O “toque Congo” ou “ritmo de tango” como sínteses da música banto/americana. Suas variantes em 6 x 8. Exercícios através da voz, o corpo e a percussão. Improvisação. O Cajon no Litoral. A relação música/dança. A poesia. Inter-relação entre pesquisa e criação artística.

Chamamé. Linguajem rítmico-harmônico-melódico característico. Instrumentação. Referências e obras destacadas. Repertorio. Temáticas em suas letras. O toque de tambor. Contexto social, histórico e religioso. Pontos de encontro com os ritmos afroparaguaios.

Milonga. Chamarrita. Rasguido doble. Tanguito montielero. Referências e obras destacadas. Padrão rítmico como elemento unificador. Características rítmicas, harmônicas e melódicas de cada género. Instrumentações. Repertorio. Recreação de antigos candombes. Instrumentos, padrões rítmicos e seu conjunto, cantos.

Práticas musicais vigentes de raiz afro. A zemba ou charanda. O toque de tambor no chamamé. As Batucadas.

Gualambao. Referencias e obras destacadas. Repertorio. Características rítmicas, harmônicas y melódicas. Possibilidades rítmicas. Instrumentações

Pablo Suarez Flautista, percussionista, professor e pesquisador. Se dedicou a percussão afroamericana. Através de inúmeras viagens aprofundou seus conhecimentos com professores como Carlos Aguirre (Arg.), Osvaldo Fatorusso e Sergio Ortuño (Uruguai), Naná Vasconcelos, Hermeto Pascoal e Toninho Carrasqueira (Brasil), Abdoulaye Badiane (Senegal), Thobos Lubamba (Congo), Miguel Ballumbrosio (Peru), entre outros. Tem integrado e/ou dirigido diversos grupos de música popular. Desenvolve numerosas atividades pedagógicas pelas quais tem sido convidado por universidades e instituições do Brasil, Peru e Argentina.

Sebastián Martínez Professor da Universidad Autónoma de Entre Ríos (UADER). Formado em "Instrumentista de Música Popular" e "Professor de Instrumento em Música Popular" (Escuela de Música Popular de Avellaneda). Estudou percussão, harmonia e composição. Trabalhou com a educadora infantil Mariana Baggio. Tocou e gravou com vários grupos. Ministra várias oficinas: Universidad Nacional de Artes (Buenos Aires), Casa de Entre Ríos (Bs. As.), Conservatorio C. Guastavino (Rosario), 2do. Cong. Pedagógico (EMPA), “Encuentro Reg. del litoral (Rosario), Festival Internacional de Percusión "Rosario Repercute”, entre otros. Integra: “Damián Lemes Cuarteto” / “Nardo Gonzalez Grupo”.

© 2018 por Rebeca Vazquez